segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A diferença entre Reforma e Revolução...

Começo de ano na política sempre é marcado pelo já habitual discurso da mudança. É reforma daqui, é revolução dali. Para os leigos, reforma e revolução soam como fenômenos bem parecidos, diferenciando tão somente na sua grafagem. No entanto, é bom que se frise que reforma e revolução partem sim do mesmo princípio, isto é, a "mudança", mas, em seus encaminhamentos, possuem metas totalmente diferenciadas. A reforma, em síntese, é algo que pressopõe mudanças pontuais, mas que conserva sua essência principal, seja ela qual for. Já a revolução, também significa mudanças, no entanto, seu princípio básico é a radicalidade, ou seja, é a mudança na sua essência e totalidade sem conservar nenhum vestígio daquilo que esta sendo mudado. Portanto, na "Reforma" se muda conservando alguma coisa. Na "Revolução" se muda rompendo com tudo que esta sendo mudado. Por isso, é bom que se reflita seriamente sobre os limites daquilo que se diz em relação ao que, como e onde "reformar" ou "revolucionar". Afinal, em política, a retórica do discurso político, pode, muitas vezes, tornar seu conteúdo vazio de significado e insignificante do ponto de vista prático. A meu ver, a política partidária e governamental nesse começo de ano se vale muito dessas estratégias. Seja pela via da "reforma" ou pela via da "revolução" se planta a esperança de mudança pelo caminho da política. Enfim, só estou destacando esse ponto nesse artigo, porque muito se comentou nos discursos de posse de governadores e da presidenta do Brasil, reformar e revolucionar muita coisa. Afinal, em política, mudanças radicais sempre implicam em ferir interesses. Ao leitor desse artigo, caberá refletir sobre os limites e possibilidades desses discursos políticos.

4 comentários:

  1. Gostei cara, muito inteligente e culto você, tá de parabéns pelo post..

    Wagner Duarte Pereira, 16 anos, Estutando da 2ª serie do 2º Grau.

    ResponderExcluir
  2. esclarecimento didático e um bom alerta para fazermos uma análise crítica sobre o que vemos e ouvimos.

    ResponderExcluir

Saudações...